sexta-feira, 4 de maio de 2018

A propósito de "residências"... se eu fosse deputado eleito por Viseu, com casa em Viseu, teria que arranjar residência em Lisboa, certo? E receberia menos de 500 € por mês se desse como morada a de Lisboa. Quereria ser deputado? Quantos quereriam?

A propósito de PS e JS

Quando um Partido opta por incorporar no seu Poder alguns portadores de "excesso de pragmatismo" corre riscos. O risco de "esses" não terem em devida conta os limites da decência e do respeito pela Res Publica. Acontece com todos os Partidos. E como na anedota do jacaré e do hipopótamo, alguns até fingem que têm a boca pequena.
Fez bem o PS quando se dissociou dos problemas judiciais de José Sócrates e o reafirmou, mas era difícil dissociar-se do resto. Como Partido decente que gostaria que fosse, ao nível político bastava-lhe dissociar-se de qualquer comportamento ilegal ou ética e politicamente inaceitável (ainda que legal). E reafirmá-lo enérgica e sistematicamente. Ao fazê-lo agora relativamente a José Sócrates e a Manuel Pinho, com inúmeros atores a verbalizá-lo publicamente, prestou um mau serviço. Apareceu a reboque de inqualificáveis comportamentos da Comunicação Social, dando-lhe alento, e aos demais a quem tais comportamentos ajudam, incluindo os que se servem dessa CS para darem "consistência" ao julgamento prévio. Foi pena. Um pouco de coragem antes e agora poderia ter marcado a diferença! Com este procedimento permite o início do tiro aos patos (não aos pratos). E ao esbatimentos de prevaricadores de outros Partidos. Não sei se Jacinto Leite Capelo Rego concorda.

quarta-feira, 2 de agosto de 2017

Trumpalhadas

Segue em forma de tragicomédia a "gestão Trump", sem que se saiba o que pretende gerar, qual o papel que pretende ter no Mundo. A substância dos planos de Trump está vertida em twits deveras idiotas (porque se infantis seria a destempo). A indignidade mantém-se sem tendência que não seja a de apodrecimento e divisão. Como ainda é possível compará-lo com Obama? Ou, sequer, com a odiada Clinton?
Susto... e tristeza. Mas nenhuma surpresa.

segunda-feira, 14 de novembro de 2016

Trumpalhada

O "politicamente correto" passou a ser, na verdade, arrasar o atual sistema político e paralelamente extrair dele todos os benefícios possíveis. E assim se consegue que a candidata do Sistema, que se aceita ser um sistema corrupto e gerido por corruptos, seja vencida por um mostrengo insensato, de qualidade inqualificável e de conhecimentos abaixo da sua inqualificável qualidade, que não se contradiz apenas por motivos populistas mas também porque não respeita quem o ouve.
Venha o Diabo e escolha? Um adulto sabe que por mais negativas que sejam as opções, existem sempre algumas ainda piores que outras.
Combateu-se assim o Sistema?

sexta-feira, 6 de novembro de 2015

Questão de perspetiva! Como na política (?).
 

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

De como bons cervejeiros nos lixam agora



Gosto mesmo muito de cerveja. É uma bebida ancestral, como tão bem refere a Wikipédia, que acrescenta pormenores interessantíssimos. "A mais antiga lei que regulamenta a produção e a venda de cerveja é a Estela de Hamurabi, que data de 1760 a.C. Nela, se condena à morte quem não respeita os critérios de produção de cerveja indicados.". Não era preciso tanto! Mas esta agrada-me: "O Código de Hamurabi também estabelecia uma ração diária de cerveja para o povo da...". Levavam a atividade mesmo a sério: "O código também impunha punições severas para os taberneiros que tentassem enganar os seus clientes.".
Alberto da Ponte foi CEO da Centralcer, e Pires de Lima foi o mesmo na Unicer. Às tantas até estavam lá bem. E nós estaríamos bem melhor!
Votos de boa semana.

sábado, 6 de dezembro de 2014

Disparate

o que Henrique Monteiro escreveu hoje no Expresso a propósito da prisão de Sócrates. Sem inspiração, mas com muita vontade de se babar.